6 de out de 2011

Mudez

Ela continua muda. Cresceu tão rápido. Ou foram os anos que passaram rápido. Minha irmãzinha nasceu muda e continua muda. Ela já tem 7 anos, sabe escrever e ler mas não sabe falar.
Eu com meus 20 anos nas costas e ainda não entendo qual a função de minha pequenina ter nascido muda. Certa vez ela chegou em casa com os lábios sangrando. Ninguém sabia o que tinha acontecido e ela não tinha como contar, pois não sabia como escrever ainda. Descobrimos que alguém bateu nela mas o porque não foi descoberto na hora. Foi preciso ir a escola dela e fazer uma certa investigação. Depois de uma grande análise conseguimos perceber que foi a coleguinha de classe que ficou com raiva porque ela não respondia.
Depois de uma experiência como essa, eu fiquei me perguntando porque ela tinha nascido assim. Só parei de me perguntar depois de hoje.
Estava em casa almoçando quando minha pequena chegou da escola. Me deu um belo sorriso que só ela consegue fazer e sentou na mesa. Na hora de levantar ela esbarrou em um copo em cima da mesa e o derrubou. Quando ela foi catar os cacos ela cortou o dedo. Fui ver o que aconteceu e peguei o dedo que estava sangrando. Ela puxou-o com força com um sorriso esboçado no rosto. Abriu minha mão e escreveu com seu sangue. A palavra foi AMOR.
A partir de hoje percebi que tudo que é colocado na sua vida tem um propósito. Podemos questionar o quanto quisermos mas a resposta virá da forma mais inusitada e interessante. Um sorriso pode mudar uma vida, um olhar pode quebrar seu coração e um gesto pode te matar. A questão da vida é saber lidar com isso. E nesses meus 20 anos, não aprendi ainda. Mas a minha irmã muda aprendeu. É como um tapa na cara pra acordar pra vida.