19 de jun de 2011

Mudar o mundo

- Eu quero mudar o mundo.
- Mas você não pode - respondeu o professor.
- Quem disse?
- A vida diz isso a toda hora. Ou você se adapta ou você é engolido pelo mundo.
- Um dia vou te mostrar que vou mudar o mundo.
O professor debochou do menino e continuou a aula.
Aiko estava indignado. Foi pra casa e ficou pensando. Concluiu que realmente não ia conseguir mudar o mundo. Mas podia fazer alguma coisa. Foi ao supermercado e comprou um pacote de pirulitos.
No outro dia, alguns minutos antes de começar a aula do professor que disse que ele não poderia mudar o mundo, ele deixou um pirulito em cima da mesa que estava em frente ao quadro negro. O professor chegou, olhou a sala cheia de alunos. Depois olhou para o pirulito na mesa. Pegou-o.
- Quem foi o autor dessa obra?
Ninguém respondeu. Aiko levantou a mão calmamente.
- Você sabe que eu não gosto de pirulitos moleque?
- Sei!
- Então porque você se atreveu a colocá-lo na minha mesa?
- Porque assim eu mudei o mundo.
- Lá vem você com essa história de mudar o mundo de novo seu idiota!
Aiko apenas sorriu. O professor guardou o pirulito no bolso com cara feia e continuou a aula, estressado.
Quando a aula terminou, o professor saiu da sala. Chegando ao lugar reservado parar os professores, percebeu que havia um pirulito em cima da mesa. Praguejou Aiko. Foi ao banheiro e notou que havia outro pirulito na pia. Praguejou de novo. A cada lugar que ia achava um pirulito e guardava no bolso.
No outro dia de manhã, chegando na sala, o professor colocou todos os pirulitos que havia encontrado na mesa da Aiko.
- Agora a sua recompensa por me irritar o dia todo!
Aiko sorriu novamente e disse:
- Pelo menos você aprendeu a lição.
- Ainda depois disso você vem me dizer que tem um a lição nessa porcaria toda?!
- Sim.
A sala toda prestava atenção na discussão.
- Está se achando espertinho não é garoto? Me explique essa bobeirada sua então.
Aiko se levantou, pegou um giz branco na caixinha e escreveu no quadro negro:
"Você mudou o mundo!"
O professor se estressou mais ainda e mandou ele sentar e explicar tudo aquilo sem demora.
- O senhor mudou o mundo.
- Você já disse isso seu burro! E eu não mudei porcaria nenhuma!
Aiko pegou todos os pirulitos de sua mesa, levantou-se e jogou-os no lixo. O professor o olhava nervoso, mas ao mesmo tempo curioso.
- Imagine se você tivesse jogado todos esses doces no lixo, ao invés de recolher e me entregar de novo. Você estaria jogando meu dinheiro fora, mesmo que isso não importe pra mim. Mas você preferiu entregar a mim. Isso significa que você não é assim fora de sala de aula. E olhe esse monte de pirulitos. Agora eles são uns 20. No início era um.
Aiko recolheu os pirulitos da lixeira e entregou-os ao professor.
- Agora tente entregar esses pirulitos aos alunos.
O professor obedeceu mesmo com raiva. Os alunos sorriam para o professor a cada pirulito entregado. Ninguém nunca sorria pra esse professor.
- Viu como você ganhou tantos sorrisos? Imagine ganhar todos os dias. - disse Aiko.
O professor estava refletindo mudo.
- Viu como consegui mudar o mundo? Eu consegui mudar o seu mundo com pirulitos. E você pode mudar outros mundos com coisas tão simples como pirulitos. E se todos os mundos forem mudando, mudaremos o mundo físico.
O professor olhou para Aiko mas não tinha mais raiva no olhar dele. Todos aplaudiram Aiko. O professor sorriu pela primeira vez naquela sala de aula. E mudou o mundo.