28 de mar de 2011

Imagina-mundo

O barulho do relógio condena
Condena as horas serenas
Que fico pensando na vida
Mas ela passa tão devagar



Nos meus devaneios me perco
Um mundo sem pilastra nem eixo
Tão grande, imenso, enorme
Mas que em um pequeno lugar está

Cansei de pensar na vida
Então resolvi criar
Meu pequeno grande planeta
Aonde eu posso voar

Nesse mundo as pessoas não tem face
Às vezes nem mãos, nem pés
Cabelos podem até ter
Nem sei se é homem ou mulher

Só sei que nele eu viajo
Fico perdido aonde eu quero
O território imaginário
Tem de tudo o que mais espero

Mas é só alguém me cutucar
Que volto rapidinho pra cá
Onde as lágrimas rolam soltas
E a dor vem me atacar

Quem dera se dividíssemos
Nossos mundos que criamos
Opa, perdi a fala
É que meu mundo está me chamando