1 de dez de 2010

Pare

Chega
Cansei de ouvir suas palvras não ditas
Seu sorriso mal feito
Seu olhar matador
Seu mistério não resolvido


Cansei de fingir
Cansei de te olhar
Pra procurar algo
que nunca vou achar

Procurei sua amizade
Entre seus fios de cabelo
Seus dedos
Sua alma
Mas ela fugia de mim
E se trancava ao me ver

Agora sinto agonia
Vontade de te sacudir
E perguntar a você
Você gosta de mim?

Parece que eu já sei a resposta
Mas eu queria uma tão simples
Não essa coisa falsa e triste
Não esse ar de algo que não existe

Talvez uma música
Talvez uma palavra
Talvez um bilhete
Mas não

Você permanece mudo
Tão mudo quanto minha quietude pode ficar
Tão quieto quanto eu
Tão misterioso quanto o tempo

E no fim
Pare de me dar esses sorrisos
Que me deixam com nojo

E quando eu viro de costas
É como se eu não existisse
Virei pó, evaporei, sumi
Desapareço, mas estou lá
Só pra mim