16 de ago de 2010

O Porquê

Às vezes a gente acorda e lembra daquela pessoa. Mas também têm aqueles dias que você acorda com a cabeça vazia. Você respira o ar da manhã. Têm dias que ele é tão friozinho, têm dias que ele é abafado, quente.
A gente toma o café da manhã. Têm dias que a gente toma com prazer, outros, tomamos apressados. Você vê pessoas. Existem dias que você vê elas com prazer, outros, com desgosto. Você sente saudades. Às vezes porque o momento foi bom, e às vezes porque esse momento não está tão bom quanto o outro. Você pensa. Pensa sobre coisas fúteis que te levam a pensamentos inúteis e pensa sobre coisas úteis que te levam a pensamentos estranhos. Você conversa. Conversa besteiras e conversa assuntos. Você abraça? Abraça porque é bom ou abraça ou porque o outro acha bom. Você lê. Lê porque pediram, ou lê porque achou interessante. Você vive. Você vive porque nasceu ou vive porque acha bom. Você. Tantas coisas, tantos caminhos, tantas formas em um só ser. É melhor observar atentamente. Toda ação gera uma reação em cadeia. E nem sempre é boa. Por isso quando for acordar, respirar, tomar café, ver, sentir saudades, pensar, conversar, abraçar, ler e viver, olhe pra você mesmo e diga "porquê?". Como diz aquela propaganda, o mundo é movido a base de perguntas. Pergunte o porquê a você mesmo, pois antes de achar os outros, você precisa se encontrar. Você e eu precisamos. Precisamos um do outro pra ver como as coisas simples da vida como respirar, acordar e todos outros itens, são importantes e mudam a sua vida.
Então acorde para respirar, tomando o seu café da manhã, pra ter energia pra ver as coisas, pra sentir saudades delas, pensando no porquê de conversar, abraçar e ler, acabando assim por viver.
Não sei mais de nada.