1 de mai de 2010

Sensações

Não tem quando você chega do serviço, muito cansado, e tira o sapato e sente os pés livres, balança os dedinhos e diz "Ufa!"? É uma sensação tão boa.
Não tem quando você toma aquele banho geladinho num dia calorento depois de uma partida de futebol? É uma sensação tão boa.

Não tem quando você ouve o barulho do portão abrindo, sinal de que seu filho está chegando, e pode dormir em paz porque nada aconteceu com ele? É uma sensação tão boa.
Não tem quando você vê alguém que conhece na multidão e recebe um sorriso dele? É uma sensação tão boa.
Não tem quando alguém reconhece que você fez algo bom, se esforçou? É uma sensação tão boa.
Não tem quando você termina de ler um livro e a história tem um final tão inesperado e bom? É uma sensação tão boa.
Não tem quando seu irmão que você não tem muito contato te dá um abraço tão sincero que você lembra dele por uma semana? É uma sensação tão boa.
Não tem quando você recebe aquela prova e você vê que tirou uma nota boa? É uma sensação tão boa.
Não tem quando alguém de longe diz que é seu amigo e te ama mesmo sem te conhecer? É uma sensação tão boa.
Não tem quando você chega na escola e vê todos aqueles seus colegas do jeito que você tinha deixado no outro dia? É uma sensção tão boa.
São tantas sensações boas que você acaba esquecendo as ruins. É melhor lembrar as boas que te deixam feliz do que lembrar as outras. E se você for bipolar, acredite em uma coisa: mesmo tendo essa característica, essas lembranças não mudam. Agora só basta senitr saudades do que foi bom e se esforçar pra fazer de novo. Aproveite enquanto pode.
Fique feliz.