16 de abr de 2010

Antigamente

Quando eu era criança
Só pensava em encher a pança
Sem me importar com a dor de barriga
E que tinha aula no outro dia



Quando eu era menor
Brincava e só pensava em ser maior
Pensava que a vida era mansa
E minha frase era quem sonha, alcança

Pensava que as coisas eram simples
Mas descobri que são tão incríveis
Que eu luto e não consigo
Entender o porque tardio

Acreditava que homem só casava com mulher
E que era assim com um qualquer
E que amor era só no casamento
Não por qualquer julgamento

Pensei que amizade não era pra mim
Percebi que não é bem assim
Amizade pode ser com branco e vermelho
Todos no fim vão te dar um conselho

Sei que vou morrer, por isso vivo
Mas não quero tornar disso um Carpe Diem
Por isso nas horas vagas, crio
Antes que as seifadoras do avesso me virem