23 de mar de 2010

Professor

Medo, ansia, dor de barriga, força de vômito, vontade de roer unhas, choro, desespero, olhos fechados, rezas. Isso era o que uma turma sentia alguns dias antes da prova. A primeira prova do ano da matéria que ninguém entendia, com o professor que ninguém entendia e com as dúvidas que ninguém esclarecia. Os colegas da turma se reuniam toda a tarde pra estudar, mas em vez das dúvidas se desfazerem, elas multiplicavam!
Eram pilhas de livros sobre a mesa, todos dizendo a mesma coisa com palavras diferentes. Mas nenhuma palavra diferente poderia tirar da mente daquela turma o terrorrismo feito pelos próprios estudantes e pelo professor.
Chegou o dia da prova. Todos estavam na sala o mais cedo possível, sabendo que a prova era em turno inverso. Foi o dia em que mais abraços de consolo foram dados, rezas feitas, livros didáticos lidos. Não que essa prova fosse a única que eles fossem fazer daquele professor, mas eles tinham que provar para o professor que estavam sabendo. Como toda turma, essa tinha aqueles que já estudavam pra recuperação, aqueles que estudavam demais, aqueles que eram desesperados, aqueles que estavam pendurados em outras matérias.
_ Ai Sabrina, não sei nada pra prova de hoje. - disse um aleatóriamente.
Faltavam alguns segundos. Triiiiiim. O sinal bateu. Corações acelerados, mãos juntas, correria, frios na barriga, medo, frio, calor, vento, arrepios, estranheza, todos os sentimentos possíveis num ser humano. Até que o professor apontou na porta. Empalideceram alguns, outros congelaram, outros fecharam os olhos, mas todos estavam com medo.
_Vamos! Começar a prova. Arrumem... Opa, já estão arrumadas as cadeiras.
Silêncio. Ninguém ousava dizer nada. A frieza, o medo e a ânsia eram tantos que  nada foi dito.
_Cof cof cof. Cof Cof!
O professor que fumava muito, começou a tossir. Uma tosse interminável. Os alunos estavam inquietos. O aplicador do teste tossia ainda. Os alunos desesperados. Em uma de suas tosses saiu sangue mas nenhum aluno percebeu. Todos olhavam para as provas no envelope na mesa. O professor caira no chão. Os alunos ficaram perplexos e um deles levantou para ver o que havia acontecido.
Os alunos só ligaram pra eles mesmos e esqueceram de uma coisa que era principal: o professor. Agora ele se fora. E os corações dos alunos batiam mais forte. Culpa? Desespero? Talvez. Mas agora só basta VOCÊ ver que seu professor está tossindo e alertar ao próximo.