19 de fev de 2010

Essência

Kaikala era uma menina que ninguém costumava socializar-se pelo jeito quieto. Um dia deixaram ela presa no laboratório de química da escola, porque simplesmente esqueceram ela lá. No outro dia, as serventes abriram e acharam a menina deitada no canto do lugar, com um frasco com um líquido meio trasparente amarelado. Após vários questionamentos e o tratamento necessário ela foi posta a frente da turma para eles verem o que haviam feito. Antes que o professor falasse algo ela falou em uma voz baixa mas que todos podiam ouvir.

_Sabia que eu sou uma pessoa também?
O silêncio foi profundo.
_ A propósito, estou com esse frasco aqui - disse mostrando o vidrinho - para mostrar pra vocês.
_Sim, e daí? -  disse um menino do fundo da sala.
_E daí Pedro - falou Kaikala com seu tom cordial - que eu posso vendê-lo pra você.
_ E pra que eu iria querer comprar um frasco de você? - respondeu em uma atitude ignorante.
_ É porque nesse frasco têm essência de uma pessoa.
Silêncio no início, mas logo ouviu-se umas gargalhadinhas. O professor, sabido, logo retrucou:
_ Mas não se vende uma essência para alguém, isso já vem com a pessoa.
_ Justamente. Queria vender um essência de uma PESSOA, porque nenhum aqui tem uma PESSOA dentro dele.
Kaikala saiu da sala e nunca mais foi vista. Dizem que ela se jogou no rio, outros dizem que mudou de nome e fez plásticas. Mas a verdade é que ela foi parar na sua cabeça. Ela está atrás de você vendendo a essência. Vai querer uma gota ou vai criar coragem para fazer seu frasco aparecer?















 (clique para ampliar)